Lista de profissões que eu NÃO terei

Posted on 18/02/2010

4


Adultos me perguntam o que eu vou ser “quando crescer” umas quatro vezes por semana e que “facul” eu vou cursar umas três vezes ao mês. O “facul” está entre aspas para indicar que a pessoa tenta usar gírias para falar de faculdades comigo. Minha resposta se divide entre “ainda não sei” e “nenhuma/nada”.

Mas eu tenho certeza que mamãe e papai não deixarão que eu não faça faculdade (PORRA, PAGAMOS COLÉGIO PARTICULAR PRA QUE?) e que eu vou ter que prestar no minimo uma estadual.

Hoje eu tive um insight e resolvi definir minha vida: uma lista gigante de coisas que eu não farei. O que sobrar é lucro.

Medicina: o sonho da minha mãe, o meu pesadelo. Tenho medo de sangue e agulhas, não gosto de hospitais. Eu sei que paga bem e eu sei que sempre tem emprego mas não dá, no máximo eu iria querer ser uma médica estilo House, e para isso ía precisar de anos estudando. E muito Vicodin.

Enfermagem: os motivos já citados (sangue e agulha) mais alguns traumas de infância e o fato de que o House não é médico. Próximo!

Bombeiro/Policial: se alguma coisa está dando errado eu quero ir para longe. E NÃO CORRER PARA O PROBLEMA! Incêndios? Assaltos? Tiroteios? Não é para mim.

Carreira Militar: gosto muito da minha liberdade de expressão para passar por essa doutrinação. Quer dizer, é dificil trabalhar em algo que você não acredita. E se tem guerra, eu quero estar bem longe dela.

Carreira Religiosa: claro, claro. Nem preciso explicar porque não, né ?

Professora: Já dei trabalho demais na escola para aceitar esse karma ruim. Não quero estar contra 30 pestinhas/adolecentes enfurecidos.

Administração de empresas: money can’t buy me love, e administrar uma empresa basicamente quer dizer ter lucros. Não é uma missão de vida que me empolgue. Capacidade de levar uma empresa à falência: 10. Capacidade de administrar alguma coisa (qualquer coisa): 0

Matemática: números me odeiam. O sentimento é mútuo. Sério, depois que eu sair da escola nunca vou chegar nem perto de uma fração.

Direito: chato. Leis são chatas, julgamentos são chatos e processos são chatos. Não quero uma vida chata.

Chef: adoro cozinhar, mas deve ficar banal quando você faz isso todo dia, é obrigado a fazer isso e ainda tem que fazer o que o cliente pede.

Se eu pensasse mais poderia colocar aqui várias outras profissões (dentista, psicologa, politica) mas é isso.

O que eu quero fazer? Coisas legais. Já sei vou ser Beatles quando crescer!

Porque profissões normais não me atraem nem um pouco.

Anúncios
Posted in: Quinta-feira